terça-feira, 27 de março de 2012

Informações

Se liga, falta menos de 10 dias para o V EREGEO SUL, pra quem ainda não fez a inscrição, fique atento aos prazos: até dia 31/março, são R$30 e depois o valor passa para R$ 40: http://eregeosul.blogspot.com.br/p/inscricoes_06.html


Dúvidas quanto a estrutura, então se liga: 

Alojamento - está incluso na inscrição e vai ser no ginásio de uma escola, então não esqueçam de trazer, sacos de dormir, barraca, colchão, cobertor, coisas de acampamento.


Alimentação - não está incluso na inscrição, existem vários restaurantes BARATOS, perto da universidade e quem quiser pode trazer seu Kit Mato, com talheres, panelas, fogareiro, para cozinhar. 


Trabalhos de Campo - teremos 3 trabalhos de campo, serão divulgados em breve, portanto venha preparado para caminhadas, com roupas confortáveis, calçados adequados, chapéu, protetor solar, essas coisinhas que todo mundo já sabe.


Espaço do histórico - é o momento de juntar o que temos para montar um documento sobre o histórico do EREGEO, então quem tem fotos, vídeos, textos, poemas, músicas, que foram feitos nos EREGEOs favor trazer para compartilharmos. 


Programação está aqui no site, atualizada, dá uma espiada =): http://eregeosul.blogspot.com.br/p/programacao.html


Estamos recebendo os trabalhos que vão ser apresentados nos EDPs (Espaço de Diálogos e Práticas), então se agiliza aí e manda o seu tbm, informações no post abaixo.

 

Como viemos fazendo ao longo dos Eregeos, iremos nos organizar em Brigadas durante o Encontro, então pra quem não sabe como é, vai aí um texto bem massa: 
A proposta das Brigadas parte da idéia de que não precisamos de especialistas para nos dar um Encontro e de que podemos construir juntos/as um Encontro, em todos os seus momentos, de forma não-determinada. Tem a ver portanto com nossa autonomia. Depois disso, vem sendo uma prática adotada em outros encontros da Geografia, como o EREGEO do Sul (Florianópolis e Ponta Grossa), Sudeste (Vitória, Niterói e Campos) e ENEG’s (Cárceres, Porto Velho e Vitória ). A proposta vai além da divisão do trabalho, é um chamado para a participação efetiva no Encontro e a pretensão que esta participação vá para outras instâncias da Geografia e da vida. Afinal, podemos questionar a forma como levamos à vida e como a vida nos leva, o individualismo que envolve nossa sociedade, a busca individual para solução de problemas coletivos, que nada nos ajuda, ou até mesmo a ignorância de todos os problemas que nos afligem. Sabermos que podemos no Encontro nadar um pouco contra essas correntes. Exercer nossa capacidade de autogoverno, nossas potencialidades que estão para além de sermos apenas estudantes, aos quais cabe apenas estudar, se formar e trabalhar. Temos que ser estudantes, mas podemos ser muito mais que isso. E construir nossos espaços para nossos exercícios de debates, de questionamentos, de organizações coletivas para ação, tudo isso é antes de tudo, e só poderá ser assim, uma construção coletiva, onde a pluralidade só aparece com a livre participação de todos, colocando suas diversas perspectivas sobre tudo que nos apeteça. Nos ENEG’s [e EREGEOs], as Brigadas acabam se dividindo por funções, tais como: limpeza e manutenção do “território”, comunicação, segurança, e demais demandas que surgirem de acordo com a realidade do Encontro. As divisões de tarefas são feitas na plenária inicial, por haver um número relevante de estudantes presentes, sendo feitos por “fitinhas”, onde fitas coloridas para amarrar no punho são distribuídas no credenciamento, ou por escolas. A vantagem das “fitinhas” é que proporciona uma integração maior de estudantes de escolas diferentes.  Mas a Brigada não é um “faxinão”, não é um barateamento do Encontro ou para tirar a responsabilidade da escola-sede. Ao contrário, a idéia das brigadas é colocar em jogo nossa postura política e social, nossa participação, nosso pertencimento ao momento que estamos vivendo. É colocar para os/as estudantes que eles/elas são responsáveis pelo espaço que ocupam e que isso não pode ficar só na teoria e nos conceitos dos livros, é a prática da sua gestão no espaço de forma coletiva, é não colocar a responsabilidade nos/nas outros/as e esperar que alguém venha conduzir (ou limpar) seu encontro (sua sujeira); é uma forma de colocar o trabalho coletivo em prol da descentralização das atividades, a favor da participação daqueles/las que não puderam participar da construção do Encontro.


é isso raça!!! bora lá se encontrar e unir as nossas geografias!! até logo...

 =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário